Por Bruno Fleming

Por Bruno Fleming

segunda-feira, 14 de maio de 2012

Bigode de Leite, Semente de Romã - Volume 02

Bruno Fleming
Bigode de Leite é uma ópera rock em formato de disco duplo. Este é o segundo álbum de Bruno Fleming que sai pelo selo da Lambe Lodo Records. O lançamento oficial ocorre no dia 09 de junho de 2012, e até lá disponibilizaremos todo o álbum para download aqui no blog, através de oito volumes, obedecendo a sequencia narrativa contida na letra (única) que atravessa as canções do álbum.
Segue o Volume 02. Divirtam-se!







DOWNLOAD VOLUME 02: http://www.mediafire.com/?nr8rtliftd54eq0

...continuando...

Naquele4 tempo, o tempo é que esperava pela hora do menino de dizer.
Ele escolhe, ele é o rei!
Naquele tempo os anos se contavam pelas cores dos aromas que pairavam no ar.

(Totó): - Mamãe, papai! Já sei falar e ler um pouco!

Aquele tempo é agora quando eu relembro como era bom viver.
Tempo-mundo! Viver é melhor que sonhar, sonhar é melhor que viver.

(Totó): - Não sei olhar no relógio não, e meu velotrol é muito massa!
Tenho quatro anos e já sei comprar pão! Vô Geraldo me dá balas de brinde!

Correr sem pressa pra buscar o pão, porque o bom é o correr!
Demorar no banho pra virar herói!

(Totó): - Ninguém destrói o “menino-peixe”!

E viva o tempo amigo!

(Totó): - Se minha bola cai no quintal de Bebé, tenho muito medo de pedir de volta...
Bebé é bruxa!

Domingo à tarde, passeio de balão!

(Totó): - Zé Canarinho leve-me contigo para as nuvens de algodão!

Um segundo pra dizer:

(Totó): - Amo vocês!

E a vida inteira vai bem!
É devagar que eu vou lá visitar a mim mesmo e dizer: viva o tempo amigo!
Daquele mundo tiro o meu sustento, perco o medo e o receio de continuar
 meu trabalho de fazer eu menino crescer bem.
E5 pra crescer vamos lembrar Seu Veludo Pasteleiro
em canção de cantar saudade carimbada em meu peito.
E que canção é essa? Quanto tempo sem você...

(Totó): - Boa noite Seu Veludo! Hoje tem pastel de quê?

Depois6 de dez pastéis, nove caçulinhas, oito, sete, seis, cinco, quatro, três, dois puns...
Vamos para o parque passar mal no carrossel e no bate-bate de latão!
No parque do Seu Quis os brinquedos são de ferro-velho,
parafusos e chassis, rodas tortas, pinos e pregos...

(Totó): - Papai já virou Sargento e me leva em seu ombro, e mamãe pelas mãos, através do reino da sucata do Sr. Quis das ferrugens coloridas dentro do caos que ele organiza com seu lindo dom.

No parque do Seu Quis tudo é de ferro-velho.
Todas as crianças pedem bis com medo do Bêbado Amarelo.
O7 Bêbado Amarelo conta um bolo de dinheiro velho...

(Totó): - Me esconde dele!
(Seu Guarda): - Ladrão, se renda já!
Que pena que te viram fugindo e chorando, levante do chão!
Para o ar além, vai bem! Rastejante (tão sujo), me dê a mão!
Haverá mais alguém que te queira bem.
E estará em pé também!

Sol a pino e asa-delta voando sobre teu chapéu! Papagaio e rabiola no céu!
Ultra-leve lá de cima faz chuva branca de papel! Mas que beleza!
Um avião desenha lá, lindos riscos no teto do céu donde caem pingos e donde erguem bandeiras
cantando seus hinos: besouros, grilos e abelhas...

(Seu Guarda): - Para o ar além vai bem! Rastejante (tão sujo), me dê a mão!
Haverá mais alguém que te queira bem. E estará em pé também!


Em plena segunda-feira o Amarelo e a cerveja...


continua...

Um comentário: