Por Bruno Fleming

Por Bruno Fleming

quarta-feira, 6 de junho de 2012

Bigode de Leite, Folha de Hortelã - Volume 08

Bruno Fleming








continuando...

Mas13 acabou a roça do Vô! O homem de terno comprou!

(Homem de terno): - Quanto custa a esperança? Quanto vale o amor?
Olá homenzinho, chore teu destino! Sofra!

Derrubou as bananeiras, o homem que colocou cinco colheres de açúcar sem pedir por favor!
Rabiscou14 a infância. Apagou lembranças.
Levou meus brinquedos! Machucou meus dedos!

(Totó): - Uhhhhhhh, tenha dó! Devolve minha casa!

Desliguei do mundo pra dentro do umbigo.

(Totó): - Uhhhhhhh, tenha dó! Devolve minha casa!

Bilhete para a infância:
“Se15 vai voltar, já nem sei mais, e dói e como! Quem puder estar lá, preze por ela.
Hoje se dissolve em mim, você meus acordes: olé na tristeza!
Infância, não vá! Não bem agora.
Criança do bem, fiquei contente em te ver!
Hoje se dissolve em mim, você meus melhores dias de seguir...
Ainda hoje...
Dale, dale, dale toda fé.
De manhã bem cedo mães beijam seus filhos.
Dale, dale, dale um belo som.
De manhã bem cedo anjos tocam seus sinos.
Ainda hoje teu aceno tão longe... Ainda hoje, despedida tão forte!
Na minha alma teu abraço realengo...
Na minha alma... na minha alma... na minha alma...”                                              
                                                                                                                                                      Assinado: Totó

FIM


Nenhum comentário:

Postar um comentário